Mentir no currículo: entenda os riscos dessa prática

Para aumentar as chances de conseguir um emprego, muitos candidatos optam por mentir no currículo e correr um risco desnecessário. Sabe aquele ditado que diz “mentira tem perna curta”? Pois é, ele também é válido quando falamos sobre processos seletivos e mercado de trabalho. A tentação realmente pode ser grande, afinal é uma oferta de trabalho que atende às suas expectativas. Mas se você não tem o perfil que está na descrição da vaga, melhor deixar a oportunidade para outra pessoa. 

 

Você pode até pensar que mentir no currículo é uma prática comum. E realmente é.  Segundo levantamento da consultoria DNA Outplacement, 75% dos profissionais brasileiros adotam essa prática. Alguns casos tomam grandes proporções como foi o caso de Carlos Alberto Decotelli, que havia sido escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para ser ministro da Educação. Porém teve que pedir demissão pouco tempo depois, após constatarem que as informações que constavam no currículo acadêmico não eram verdadeiras. Um baita papelão que deve passar bem longe da sua carreira profissional, concorda?

 

“Colocar aquela mentirinha no currículo não é um bom negócio e pode fazer você perder a vaga de emprego e até ter sua reputação no mercado abalada”, explica Lucas Oggiam, diretor da Page Personnel, empresa de recrutamento especializado em profissionais de nível técnico e suporte à gestão.

 

As mentiras mais comuns

 

Ainda de acordo com pesquisa da DNA, as mentiras mais comuns nos CVs brasileiros estão relacionadas aos valores de salário atual (48%), ao domínio do inglês (41%) e ao grau da escolaridade / cursos falsos (12%). 

 

Renata Motone, especialista em Recursos Humanos da Luandre, conta que alguns candidato mentem até mesmo na entrevista de emprego. “Mas é muito difícil que um profissional com experiência em recursos humanos não perceba”, revela.

 

Lógico que um currículo cheio de experiência e de habilidades é uma ótima maneira de garantir uma entrevista de emprego. Porém, o recrutador usa justamente esse momento para identificar possíveis mentiras, executando testes, fazendo perguntas e analisando a sua linguagem corporal. 

 

O recrutador ainda tem o direito de solicitar a verificação dos diplomas do candidato e obter informações com antigos empregadores a fim de conferir a veracidade das informações especificadas pelo trabalhador.

 

Por isso, certificados, diplomas e experiências do seu currículo devem refletir a sua exata formação profissional.

 

Nada de mentir no currículo. Seja você mesmo

Claro, omissões e mentirinhas sempre continuarão existindo em currículos. Entretanto, correr o risco de ganhar fama de mentiroso é bastante perigoso, principalmente com a velocidade que as informações fluem. 

Se está faltando uma habilidade fundamental para alcançar o trabalho dos seus sonhos, procure cursos online que permitirão que você a conquiste. Se você está começando agora, não tenha vergonha do seu currículo. Valorize suas qualidades, habilidades e projetos pessoais. E não deixe de dar uma olhada nas vagas abertas aqui no Amarelinho. Toda semana tem novas oportunidades para você.


Publicidade

Publicidade

Publicidade