Como evitar o burnout na busca por um emprego

Algumas pessoas tiram de letra toda a pressão de lidar com o desemprego. Porém isso não é tão fácil assim para todos. Procurar uma vaga de emprego pode ser uma atividade extremamente cansativa e estressante. É comum ser tomado por um sentimento de impotência e ver a produtividade ir lá pra baixo. E aqui não estamos falando apenas de “mimimi” de jovens que não conseguem entrar no mercado de trabalho, por exemplo. Pessoas que estão empregadas, inclusive que ocupam altos cargos, também estão sujeitas a sentir esse esgotamento mental. 

 

Para essa condição foi dado o nome de “síndrome de burnout” (do inglês to burn out, ou queimar por inteiro, numa tradução livre) ainda nos anos 1970, pelo psicanalista alemão Herbert J. Freudenberger. Entre as inúmeras recusas e os anúncios de emprego que não correspondem às suas aptidões, os candidatos podem se ver gradualmente nessa fase de depressão e desânimo. Em 2019, o burnout foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma síndrome e, segundo pesquisa feita pela revista Época, já atinge quase 20 milhões de brasileiros. Mas o que fazer para evitar ser tomado por esses sentimentos?

Nossas dicas para lidar com o burnout

Saiba organizar o seu tempo

Prepare algumas horas por dia para encontrar um emprego que possa lhe interessar e, obviamente, alguns momentos também de pausa. O recomendado é que você jamais ultrapasse o limite de oito horas entre os processos de busca e envio de currículo. Tente prezar pela qualidade e não pela quantidade. Dessa forma, você evita o cansaço e permanece ativo. Outra dica importante é valorizar atividades saudáveis ​​que o motivam. Não desanime e seja paciente.

 

Mantenha-se focado

Durante a sua busca por um emprego, as plataformas de recrutamento online certamente oferecerão vagas semelhantes a que você está procurando. Sempre é válido conferir esse tipo de sugestão, mas cuidado para não perder o foco. Muitas vezes, essas vagas nada tem a ver com as suas habilidades e exigem um nível que não é compatível com o seu. Portanto, você estará apenas desperdiçando o seu tempo. Evite cair em desespero e também correr o risco de se candidatar para cargos com consequências negativas para a saúde ou outras possíveis dificuldades. 

 

Não tenha vergonha de pedir ajuda aos amigos

Com uma ajudinha dos amigos, você pode sair rapidamente da situação de desemprego. Deixe claro o que está procurando, quais são as suas qualificações e habilidades. Conte com eles também para desabafar sobre possíveis inseguranças, fazer um revisão em seu currículo e para conseguir indicações. Portanto, envolva-os em sua busca de emprego e não hesite em pedir ajuda.

 

Tente incluir na sua busca empresas que, mesmo na crise, continuam com alta demanda, por exemplo setor de saúde, tecnologia, serviços de remessa e entrega, assistência técnica e logística. E se você sentir que está chegando ao seu limite, procure ajuda médica. O tratamento para problemas relacionados a transtornos mentais é oferecido de forma integral e gratuita por meio SUS. É só procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS), responsável pelo primeiro atendimento, e o caso será encaminhado aos centros especializados. 

 

E não esqueça de conferir as vagas abertas no Amarelinho. Uma delas pode ser sua!

 

Até a próxima.


Publicidade

Publicidade

Publicidade