Cinco erros de português que podem prejudicar o currículo

O nosso idioma é tido como um dos mais difíceis do mundo. Por isso, toda atenção é pouca na hora de fazer o seu currículo. Segundo os recrutadores, erros de português eliminam mais candidatos a emprego do que falta de experiência. Além disso, em um momento de crise como o que estamos passando e com o desemprego em alta, o português ganha um peso ainda maior na hora do recrutamento.

“O currículo precisa reunir informações claras e diretas sobre qualificação profissional, formações complementares e experiências profissionais anteriores. Para isso, a utilização de maneira correta da nossa língua é fundamental”, explicou a supervisora de Desenvolvimento Humano e Organizacional do CIEE, Juliana Malaquias.

Sendo assim, de nada adianta preencher os pré-requisitos, como cursos e experiência na área, se na hora de elaborar o currículo o candidato cometer deslizes básicos da língua portuguesa. E a gerente de RH Daniela Lustosa complementa: “Tem que ter português bom independentemente do cargo. Dependendo da empresa, consideram a língua um quesito eliminador até para vagas operacionais”.

Portanto, conheça a seguir os 5 principais erros de português que acabam com suas chances no processo seletivo.

 

Evite esses erros de português no currículo

1) Mas/mais

 

Um dos erros mais comuns e também um dos mais cometidos. As duas palavras estão corretas e existem na língua portuguesa. Porém, “mais” e “mas” possuem significados bem diferentes. “Mas” é uma conjunção adversativa que indica oposição. É usada no sentido de “porém”, “contudo”, “todavia”. Exemplo: Ele realizou o processo seletivo, mas não foi aprovado. Enquanto “mais” é um advérbio de intensidade. Dessa forma, é usada para dar ideia de adição, aumento, indicar quantidade. Exemplo: O candidato tem mais uma chance de conseguir a vaga. 

 

2) Há/a

 

Outro erro bastante comum. “Há” vem do verbo haver e indica passado. Sendo assim, pode ser substituído por “faz”. Por exemplo: Estou procurando emprego há 8 meses. 

O  “a”  sozinho indica distância ou um momento no futuro. Exemplo: O processo seletivo acontecerá daqui a duas semanas.

 

3) Trás/Traz

 

Assim como nos dois primeiros casos, as duas palavras estão corretas. Porém o uso depende do contexto, uma vez que possuem significados diferentes. “Trás” faz referência à parte traseira, algo que está localizado atrás de alguma coisa. Exemplo: O ônibus bateu na parte de trás do carro. 

“Traz” vem do verbo trazer e significa levar ou transportar. Exemplo: Ela sempre traz comida de casa.

 

4) Plural

Lembre-se: plural é a quando ocorre a indicação de mais de um elemento. No dia a dia é normal o “s” no final das palavras ser comido. Mas em um currículo, esse é o tipo de erro de pode custar a sua oportunidade. Por isso, tenha bastante tanto na regência nominal quanto na concordância verbal. 

 

5) Erro de pontuação

 

O uso da vírgula pode ser bem complexo. Por isso, caso você não domine muito bem essa parte, escreva frases curtas e objetivas. Se estiver complicado, divida os assuntos em tópicos. Dessa forma, você organiza as informações e facilita a leitura do recrutador.

Entretanto, a pontuação vai muito além da vírgula. Toda frase terminada precisa de um ponto final. Já pontos de exclamação e interrogação devem ser evitados nos currículos. 

Uma boa dica para evitar erros de pontuação é sempre ler em voz alta, pausadamente, e verificar se todas as frase estão fazendo sentido.  

Depois dessas dicas, é hora de correr e revisar o seu currículo. Se estiver inseguro, apele para algum amigo ou parente que domina o português. Peça para ele revisar o seu currículo e, se necessário, fazer algumas sugestões de melhorias. Depois é só conferir as vagas disponíveis, se candidatar e torcer.


Publicidade

Publicidade

Publicidade