Temporários puxam as contratações em vagas formais

11 de junho de 2019

Escrito por: Kazuhiro Kurita

A subutilização da força de trabalho chegou a 25% no trimestre, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com 28,3 milhões de brasileiros que estavam desocupados ou trabalharam menos do que gostariam nesse período. Esse é o maior patamar já registrado desde o início da série histórica da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua), iniciada em 2012.

Diante deste quadro, o trabalho temporário se destaca como alternativa para a alta taxa de desemprego e na recuperação da economia brasileira. Segundo a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem), em 2018, esta modalidade de emprego tirou da informalidade e do desemprego 1.279.990 trabalhadores através da geração de vagas para atender à demanda complementar de trabalho na indústria, comércio e serviços, como também para atender substituição transitória de pessoal em período de férias ou de outros afastamentos legais. Esse número representa um crescimento de 23% em relação a 2017, quando foram geradas 1.036.632 vagas de trabalho temporário.

Para Michelle Karine, o trabalho temporário é uma alternativa para esses tempos de crise.

Para a presidente da Asserttem, Michelle Karine, em períodos de incertezas fica difícil para as empresas investirem em despesas fixas diante de receitas flutuantes. “E neste sentido, o trabalho temporário se coloca como alternativa mais viável para atender à demanda de flexibilidade e de rápida mobilização de profissionais”, constata.

Para entender a importância e o papel do trabalho temporário na geração de vagas e recuperação da economia brasileira é fundamental diferenciá-lo de outras modalidades.

Desde a reforma trabalhista, aprovada no final de 2017, o trabalho temporário teve seu prazo estendido para 180 dias, prorrogáveis por mais 90, dependendo da necessidade da empresa contratante. “Embora o trabalhador não seja empregado nos moldes da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), a lei garante a uma lista de direitos trabalhistas pertinentes a esta modalidade”, destaca Michelle

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar

NO AMARELINHO VOCÊ CONSEGUE CONTATO DIRETO COM O EMPREGADOR.

Últimas Notícias