Polo busca qualificar e incluir pessoas com deficiência no mercado

Claudinei Nascimento

, Diversidade

Segunda unidade do Polo de Empregabilidade foi inaugurada no dia 18 de dezembro, na região central da capital paulista.

 

No dia 18 de dezembro, foi inaugurada a segunda unidade do Polo de Empregabilidade Inclusiva (PEI), na Rua Boa Vista, 170, região central da Capital. 

O PEI integra o programa Meu Emprego – Trabalho Inclusivo, lançado em setembro do ano passado pela Secretaria das Pessoas com Deficiência do Governo do Estado, que tem como objetivo promover o desenvolvimento profissional, a inclusão e a permanência de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, além de oferecer cursos de qualificação técnica e empreendedora.

Elton Henrique dos Santos foi ao polo no dia da inauguração e saiu confiante após entrevista

Elton Henrique dos Santos, 27 anos, foi um dos candidatos que esteve à procura de oportunidades no dia da inauguração do polo. Na ocasião, ele estava empregado em uma empresa de alimentação rápida, mas buscava uma transição para outras áreas, como Limpeza (na qual já tem experiência), Telemarketing ou Vendas. Passou por uma criteriosa entrevista de habilidades, competências,  interesses profissionais e identificação de oportunidades e saiu confiante do local. “Estou com mais esperança de conseguir uma vaga”, diz ele, que mora no Bairro de Itaquera, zona leste da capital. 

A proposta do PEI é que também haja quebra de barreiras no ambiente corporativo, visando a inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho por meio da metodologia do emprego apoiado, que prevê a capacitação profissional já no posto de trabalho. Há ainda uma  análise do perfil da pessoa desempregada com foco em suas habilidades e potenciais, alinhando-o com as vagas e necessidades de trabalho disponíveis nas empresas. 

 

Novo olhar
Para a secretária de estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Célia Leão, está longe a época em que as pessoas com deficiência eram vistas como carentes ou desvalidas. “Hoje, elas precisam ser observadas pelos seus potenciais. Entendemos que a qualificação, que é um dos motes do polo de empregabilidade, facilita este caminho e permite que este público participe mais ativamente da sociedade”, afirma.  

Já a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patricia Ellen, que também participou da inauguração, destacou que o polo tem o propósito de contribuir para uma melhor qualificação das pessoas com deficiência, mas também ajudar a corrigir uma discrepância, haja vista que, no ano passado, foram disponibilizadas cerca de 30 mil vagas de emprego para PcDs e apenas 1.800 foram preenchidas. ”Queremos incluir cerca de 60 mil pessoas no mercado de trabalho até 2022″, diz.  

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade