É tempo de buscar o seu estágio

Entre os meses de agosto e setembro,  devem ser geradas 66 mil vagas para os níveis médio, técnico e superior, de acordo com estimativa da Associação Brasileira de Estágios (Abres).

 

Dia 18 de agosto é o Dia do Estagiário. E há uma boa notícia para celebrar a data. A Associação Brasileira de Estágios (Abres) estima que, entre este mês e setembro, mais de 66 mil vagas devem ser geradas em todo o País, entre os níveis médio, técnico e superior. Já 2019 deve fechar com 243 mil oportunidades, aumento de 8,5% em relação ao ano anterior, quando foram criadas 224 mil vagas.  

Diante deste cenário, a ordem é arregaçar as mangas e buscar a chance de colocar em prática todo o conhecimento teórico aprendido nas escolas. E não se trata de uma tarefa fácil. Apesar dos números positivos, há muita gente disputando um lugar ao sol no competitivo mercado de trabalho. Aí é necessário apresentar o que o presidente da Abres, Seme Arone Junior, chama de vantagens competitivas. “É importante ter vontade de aprender, boa comunicação, saber trabalhar em equipe, respeitar a hierarquia, características que podem ser observadas já no processo seletivo.” 

Arone destaca que do estagiário não se cobra a experiência no campo de trabalho, mas outras atividades ajudam a enriquecer o seu currículo, como um trabalho voluntário, uma monitoria na própria faculdade, um intercâmbio cultural. “Por trás dessas ações, o recrutador consegue enxergar bons valores, como disposição e flexibilidade”, diz.  

 

Primeiro passo 

E o estágio é passo fundamental para quem quer estabelecer uma carreira bem-sucedida. Caso de Letícia Medeiros, aluna do segundo semestre de Gestão de RH. Ela conseguiu uma oportunidade de estágio na Total IP, empresa da área de Tecnologia, e comemora a experiência. “O estágio tem sido fundamental para o desenvolvimento de minha carreira e, ao colocar a mão na massa, tive a certeza de que é isso mesmo que quero profissionalmente.” 

Interessante destacar também que os programas de estágio têm sido procurados por profissionais mais maduros. De acordo com dados do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), o número de estudantes acima dos 30 anos já representa 14% dos estagiários. E muitos já no mercado, como as colegas de trabalho Juliana Resende, 33 anos, e Priscila Tanazio, 34, que estão entre as 15 estagiárias da Academia da Estética.  

Juliana chegou a iniciar faculdade nas áreas de Administração e RH e, hoje, é aluna do curso técnico de Estética. Depois de trabalhar por muitos anos no atendimento ao público, ficou cerca de dois anos fora do mercado e teve de adiar o sonho antigo de trabalhar na área de Beleza. Sonho que virou realidade há três meses, quando começou a estagiar. “O contato com profissionais formados e com novas tecnologias da área têm permitido um grande aprendizado”, afirma. 

Há quatro meses, Priscila Tanazio faz estágio em uma academia de estética.

Já Priscila está cursando tecnólogo em Estética e Cosmetologia, mas já é formada em Design Gráfico. Ela acredita que experiências anteriores ajudaram na hora de participar do processo seletivo para estágio. “Geralmente, você já sabe o que quer e se sente mais preparada e segura nas entrevistas”, explica. 

Atuando há quatro meses como estagiária, ela vê a oportunidade como uma  janela que permite observar novos horizontes. “Aqui, temos contato com modernos equipamentos,  temas inovadores e percebemos, na prática, que o profissional deve buscar o aperfeiçoamento constante.” 

Aliás, trilhar o caminho da capacitação é realmente primordial, segundo a consultora do CIEE, Ana Martins, para quem o estagiário deve estar sempre antenado com as novas tendências tecnológicas, sem se esquecer das habilidades comportamentais. Ciente da importância da qualificação, o CIEE promove o “Saber Virtual”, uma plataforma de ensino a distância, que permite a realização de quatro trilhas de conhecimento, com as seguintes temáticas: Preparação para o Mundo do Trabalho, Lidando com a informática, Orientação e informação profissional e A comunicação e a matemática. “São temas pensados para facilitar o ingresso no mundo do trabalho”, finaliza Ana. 

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade