Divulgado número de jovens aprendizes sem estudar

20 de março de 2022

Escrito por: Gestão Portal o Amarelinho

Um estudo realizado pelo Ensino Social Profissionalizante (Espro) com 2.276 jovens aprendizes em todo o Brasil traz um número preocupante: 43% deles não estão estudando no momento. O levantamento não se aprofunda sobre as causas que levam a este cenário. Mas, é possível que um dos fatores seja a necessidade deste público passar a ajudar mais a compor o orçamento familiar no período pós-pandemia.

Um novo olhar para o começo de carreira

Para o superintendente-executivo do Espro, Alessandro Saade, entretanto, é preciso levar em conta outros fatores como os impactos emocionais advindos dos momentos de incerteza que vivemos. Primeiramente, analisando o que pode justificar a postergação dos estudos por parte dos jovens. Desse modo, a pesquisa destaca os três maiores temores deste público, na seguinte ordem: a morte de um ente familiar próximo; a perda do emprego; e problemas com a economia do País. “Essas respostas revelam um jovem consciente”, diz Saade.

Conhecimento para jovens aprendizes

Porém, neste quadro de insegurança, a busca pelo conhecimento é comprovadamente um bem valioso para a transformação desses jovens. No entanto, não necessariamente ele é alcançado apenas via educação formal. “Aqui mesmo temos a preocupação de prepará-los, uma vez por semana, para adquirir as competências comportamentais que permitirão a eles se destacar no ambiente corporativo”, diz Saade.

Outro ponto importante é estar antenado com as novas modalidades de trabalho. Além disso, ficar de olho em áreas de reconhecido destaque quanto à empregabilidade, como Tecnologia, Serviços e Transporte. “O mercado é muito dinâmico. Portanto, é preciso querer estar preparado para essa transformação. O objetivo é buscar o aprendizado ao longo da vida e novas formas de aprender o que é útil”, destaca Saade.

Oportunidades para jovens aprendizes

Se a continuidade nos estudos tem sido impedida por uma série de fatores, vale a pena lembrar que existem alternativas de capacitação gratuita que podem ser o caminho para mudar essa situação, como a Universidade Virtual do Estado de São Paulo.

A instituição vai oferecer mais de 30 mil vagas neste ano em Licenciaturas em Pedagogia, Letras, Matemática, Bacharelados em Ciência de Dados, Tecnologia da Informação, Engenharia de Computação e Engenharia de Produção. Além disso, existem novas oportunidades para Administração e Processos Gerenciais.

Destaque ainda para outras organizações que têm uma grade extensa de cursos voltados para competências socioemocionais ou técnicas em diversas áreas, como o Sebrae ou para programas governamentais, como o Novotec Expresso.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar