Como encarar a deficiência física no mercado de trabalho?

A busca por um emprego não está nada fácil. Para as pessoas com algum tipo de deficiência física, essa procura por uma oportunidade no mercado de trabalho pode ser ainda mais difícil. Segundo o último censo demográfico do IBGE, 45 milhões de brasileiros sofrem de algum tipo de deficiência física. Desse total, 46,8% tem grau intenso ou muito intenso de limitações. As lesões medulares são as mais frequentes, resultando paraplegia e tetraplegia. Em seguida, estão as deficiências causadas por amputações de membros inferiores ou superiores. E um dado alarmante: menos de 1% desses deficientes estão empregados. 

 

Segundo a Lei de Cotas (Lei nº 8213/1991), toda empresa que tem entre 100 e 200 empregados deve destinar 2% das vagas a beneficiários reabilitados e pessoas com deficiência. A porcentagem depende do número total de contratados, podendo chegar a um máximo de 5% caso haja mais de 1.001 funcionários. Se não cumprir a lei, o valor da multa é de R$ 1.101,75 por pessoa não contratada. Nesse sentido, a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/2005) pode ajudar a mudar essa cultura, mas a longo prazo. 

 

São Paulo é a cidade que mais contrata pessoas com deficiência, de acordo com a Associação Nacional de Medicina do Trabalho. Em 2019, o decreto nº 64.433 foi publicado no Diário Oficial de São Paulo e instituiu o programa Meu Emprego – Trabalho Inclusivo. Desenvolvido pelo governador João Dória e a secretária de desenvolvimento econômico Patrícia Ellen, o projeto é válido para todos os deficientes que residem no Estado e tem como objetivo integrá-los ao mercado e ao empreendedorismo. Além disso, são vários os benefícios, como cursos de qualificação e o emprego apoiado, que deve aumentar a taxa de permanência e desenvolvimento profissional dos portadores de deficiência. 

 

Saiba a quais pontos quem tem deficiência física deve estar atento

Investigue a acessibilidade do local

Dependendo da sua deficiência, você pode precisar de assistência ou equipamento especial para acessar o prédio e realizar a entrevista da melhor maneira possível. Certifique-se de pesquisar como chegará ao local e a acessibilidade do edifício. Se você precisar de algo específico, como elevador ou vaga para deficiente físico, não tenha medo de solicitá-lo com antecedência. Lembre-se também de que você deve ser entrevistado sob as mesmas condições de qualquer outro candidato. 

 

Discuta sua deficiência com o empregador

Você não precisa responder nada sobre sua deficiência caso não se sinta confortável para isso. Porém ao aceitar, pode ajudar um empregador em potencial a fazer ajustes necessários na empresa e aprender o que você precisaria para ter sucesso na organização deles. No entanto, cuidado para não perder o foco durante a entrevista. Faça a sua apresentação e não deixe de falar sobre suas habilidades e experiências. 

 

Seja confiante e não desanime

Sua deficiência não é sua identidade, mas você pode transformá-la em um dos seus maiores pontos fortes. Como? Destacando os traços positivos associados à ela, como comunicação, perseverança e capacidade de resolver de problemas. Caso não consiga a vaga, não desanime. Ouça com atenção o feedback recebido e aprimore seus conhecimentos para a próxima entrevista. Com orçamentos menores, as pequenas e médias empresas não têm necessariamente um serviço dedicado às pessoas com deficiência. Portanto, é mais difícil conhecer sua política nessa área. Porém, não as deixe de lado: elas representam importantes oportunidades de emprego. Se você deseja ingressar em uma delas, vá a luta e faça valer a oportunidade.  Lembre-se que cada dia mais e mais empresas desejam diversidade no local de trabalho e aproveite!


Publicidade

Publicidade

Publicidade