Instituto oferece capacitação gratuita em costura industrial

17 de junho de 2019

Escrito por: Kazuhiro Kurita

São 40 vagas para mulheres de baixa renda, com mínimo de 18 anos.

A Escola Empreendedora, mantida pelo Instituto Porto Seguro em parceria com o Senac, está com vagas abertas para o curso de costura, onde oferece conhecimento técnico de alto padrão, além de uma ampla visão de empreendedorismo. Com isso, as participantes têm a chance de obter renda logo após o término do curso ou até mesmo com ele em andamento.

As inscrições podem ser feitas até o dia 28 de junho de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h30 ou das 14h às 16h, na Rua Barão de Campinas, 669, Campos Elíseos, São Paulo. É preciso apresentar cópias atualizadas do RG, CPF, comprovante de residência e renda familiar. Mais informações pelos telefones (11) 2393-7301 e 2393-7302.

Segundo Daniela Rabacallo, consultora de Responsabilidade Social do Instituto Porto Seguro, durante o processo seletivo são realizadas uma avaliação socioeconômica da candidata e uma dinâmica de grupo, para avaliar o real interesse de cada uma. “É um curso caro, por isso precisamos que a interessada tenha o perfil adequado para minimizar a evasão”, explica.

O curso começa no dia 19 de agosto com duas turmas, uma das 8h30 às 12h30 e outra das 13h30 às 17h30, com duração de seis meses. Durante as aulas, as alunas aprenderão a costurar em máquinas reta, overloque, interloque e galoneira.

A Escola funciona, ainda, como uma incubadora, dando suporte para que as alunas atuem como autônomas ou criem suas próprias empresas e conquistem a autonomia financeira depois de formadas. A incubação dura oito meses para que as iniciantes tenham contato durante dois meses com a turma anterior. “São escolhidas as 20 alunas com melhor desempenho do curso de costura. Nesta fase, elas passam por ajustes finais do processo técnico para adquirir agilidade e velocidade no manuseio das máquinas, além de começarem a produzir peças para geração de renda”, diz Daniela.

Na incubação, as participantes aprendem também noções de empreendedorismo real com consultores do Sebrae, que ensinam como criar um MEI, a montar um plano de negócios e criar planilha de custos, além de mostrar a necessidade de criar um fundo de reserva.

Irenice Freitas Siqueira, de 62 anos, está na última fase da incubação. Aposentada, ficou sabendo da Escola por meio do jornal O Amarelinho. Embora não soubesse nada de costura, viu no curso a possibilidade de uma nova atividade para complementar sua renda. “Com o que aprendi nos cursos de costura e na incubadora, vou montar um negócio de moda pet. Se não conseguir parceiras do curso, vou abrir minha própria oficina”, afirma.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar

NO AMARELINHO VOCÊ CONSEGUE CONTATO DIRETO COM O EMPREGADOR.

Últimas Notícias