Número de subocupados aumenta no trimestre

Kazuhiro Kurita

, Empregos

Embora a taxa de desocupação tenha caído no trimestre encerrado em outubro, ficando em 11,7%, houve um aumento no número de trabalhadores subocupados, alcançando quase sete milhões de brasileiros. Subocupação é quando as pessoas trabalham menos de 40 horas semanais, mas gostariam de dedicar mais tempo à atividade. Para os que procuram emprego, a situação ainda continua difícil. De cada quatro desempregados, um está à procura de recolocação há mais de dois anos. O Brasil atualmente possui 12,7 milhões de desocupadas.

Estes são os principais resultados da análise sobre o mercado de trabalho no Brasil divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) na quarta-feira, dia 12 de dezembro. O estudo destaca que, em contrapartida, houve geração de mais de 790 mil novas vagas com carteira assinada em 2018, segundo dados do Caged veiculados pelo Ministério do Trabalho. “Há uma recuperação moderada do mercado de trabalho, mas com a informalidade ainda alta e um aumento na população subocupada”, avalia uma das autoras do estudo e pesquisadora do Ipea, Maria Andreia Lameiras.

Outro dado do levantamento é que quase metade dos jovens com nível superior ocupa postos de trabalho de menor qualificação. “Não é um fenômeno novo. Com a crise e a população mais escolarizada, as pessoas acabam aceitando um emprego abaixo da sua qualificação com medo do desemprego”, explica Andreia.


Publicidade

Publicidade

Publicidade