Quanto custa um funcionário?

A alta carga tributária brasileira e as leis trabalhistas podem assustar empresários que pretendem contratar mão de obra. Mas existem opções mais em conta para quem pretende ampliar a equipe. Tudo depende da característica do contrato e de uma análise de custos e de orçamentos.

Hoje, apenas 32% do que o empregador paga corresponde ao salário do funcionário. O restante é investido em encargos, que garantem o direito do  trabalhador.

Férias remuneradas, 13º salário e fundo de garantia por tempo de serviço são alguns desses benefícios. Ao calcular o salário, é preciso embutir tais valores na quantia gasta mensalmente pela empresa. Ainda é possível oferecer outros benefícios, como vale-refeição e plano de saúde.

PJ

Para fugir desses encargos, alguns empresários optam por contratar pessoa jurídica, o PJ, que presta um serviço e apresenta nota fiscal. Ele não tem carteira assinada e, por isso, não há alguns encargos obrigatórios.

No entanto, essas alternativas podem expor empresas aos riscos de uma reclamação trabalhista. Por isso, é preciso analisar o tipo de contratação porque até a carga horária do empregado pode influenciar na escolha da equipe.


Publicidade

Publicidade