Pacto para ampliar a inserção de negros

Claudinei Nascimento

, Diversidade

O Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT/SP) assinou um pacto com algumas empresas de recrutamento para aumentar a contratação de negros para vagas de início de carreira, como estágio e trainee.  

O pacto faz parte do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros e é coordenado pela procuradora do trabalho, Valdirene Silva de Assis. Agências de publicidade e escritórios de advocacia já haviam aderido anteriormente.  

A meta, para dois anos, é aumentar em 30% as contratações de jovens negros nas empresas. Esse número se baseia em estudo do Instituto Ethos, o qual indica que  menos de 5% dos cargos executivos nas 500 maiores empresas do país são ocupados por negros.  

O pacto é coordenado pela procuradora do trabalho, Valdirene Silva de Assis

De acordo com Valdirene, o pacto não tem caráter coercitivo e atua no sentido de unir diversos setores e agentes sociais para que possam pensar e atuar juntos em estratégias, a fim de fomentar ações afirmativas para esse público, que incluem desde cursos de capacitação, até rodas de conversas em universidades ou programas dirigidos para os jovens negros. 

“Estamos criando um terreno bem pavimentado, integrando centenas de empresas, entre outras pessoas jurídicas de direito público e privado, para que a mudança se construa de maneira sólida e duradoura. Precisamos ver os jovens negros ingressando no mercado. E, nesse caminho, os processos seletivos de porta de entrada nas empresas são essenciais para o nosso projeto e para mudar a cultura de discriminação que existe no país”, diz Valdirene. 


Publicidade

Publicidade