Instituto vai capacitar jovens aprendizes e PcDs

Vagas são para áreas de Programação de Sistemas, Suporte Técnico à TI e Práticas Administrativas e Comerciais.

O Instituto Santa Teresinha vai lançar, no dia 19 de setembro, o seu Programa Jovem Aprendiz. Ele é voltado para jovens entre 14 e 24 anos e pessoas com deficiência sem limite de idade, que tenham concluído ou estejam cursando o último ano do ensino médio. 

A diretoria do Instituto Santa Teresinha, irmã Maria Neoli.

São 75 vagas distribuídas igualmente entre três cursos: Formação de Programadores de Sistemas; Suporte Técnico à Tecnologia da Informação (TI) e Práticas Administrativas e Comerciais (Assistente Administrativo). “Vamos oferecer cursos nessas áreas, por permitirem uma maior empregabilidade”, diz a diretora do Instituto Santa Teresinha, irmã Maria Neoli. 

Os conteúdos serão compostos por disciplinas básicas obrigatórias e específicas de cada curso. Além disso, para atender às necessidades dos alunos, o instituto criou salas de aula tecnológicas, investiu em mobiliário, material didático, notebooks, links para internet e lousas digitais. 

Por se tratar de uma escola humanista, a proposta é oferecer a formação técnica, mas também prepará-los, por meio de uma educação de alto nível, a exercer plenamente a cidadania. Para tanto, eles compreenderão a importância de assumir posturas e características comportamentais exigidas pelo mundo do trabalho. “Os dois aspectos são fundamentais e devem estar associados”, diz a irmã.  

As inscrições devem ser feitas na Rua Jaguari, 474, esquina com a Avenida Bosque da Saúde, 1.615, ou pelo site https://www.institutosantateresinha.org.br . Mais informações pelos telefones (11) 5581-1928 e 5581-8084 ou WhatsApp (11) 94334-1710.  

Sobre o instituto 

O Instituto Santa Teresinha foi fundado há 90 anos e é a primeira escola particular para surdos de São Paulo. A criação do projeto de aprendizagem surge com o objetivo de gerar sustentabilidade e expandir as ações filantrópicas da instituição junto à comunidade, além de coligar empresas parceiras para que cumpram a lei de cotas para aprendizes e executem ações sociais inclusivas na capacitação profissional e emprego a adolescentes e jovens. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade