Cursos preparam para o mercado de trabalho

Kazuhiro Kurita

, Cursos & Educação

Aurélio Ryu fez o curso de bartender e já está trabalhando na área.

Quem quer se qualificar para buscar o primeiro emprego, mas não tem condições financeiras para bancar o curso, uma boa opção é a Colmeia – Instituição a Serviço da Juventude. Ela está com inscrições abertas para capacitação em Assistente Administrativo e Bartender. Para os cursos, o interessado deve estar fazendo ou ter terminado o ensino médio em escola pública.

As aulas serão de segunda a sexta-feira na Rua Marina Cintra, 97, Jardim Europa, São Paulo. Os alunos receberão apostila, lanche, material de apoio, camiseta e certificado, menos o transporte. O interessado deve se cadastrar pelo site www.colmeia.org.br ou ligar para o telefone (11) 3881-1545.

O curso de Assistente Administrativo é dirigido a jovens de 15 a 29 anos. São 120 vagas para as turmas da manhã (8h às 12h), tarde (13h30 às 17h30) e noite (19h às 22h30), com carga de 320 horas, ministradas em até quatro meses. O conteúdo específico das aulas contempla atendimento ao cliente direto e indireto, elaboração de planilhas, arquivo, juros, porcentagem, livro-caixa, nota fiscal, pacote Office, além de outros conteúdos ligados a rotinas administrativas.

Para participar do curso de Bartender, que oferece 60 vagas, o interessado precisa ter de 18 a 34 anos. De segunda a sexta-feira, das 13h30 às 17h30 ou das 19h às 22h30, o aluno receberá conhecimentos específicos para o exercício da profissão durante 220 horas, ou cerca quatro meses.

Segundo a coordenadora técnica da Colmeia, Marisa Donatiello, os cursos da instituição preparam o jovem para enfrentar as questões do mundo do trabalho relativas à ética, ao comportamento, à responsabilidade, ao trabalho em equipe, à educação financeira, à carreira e ao processo seletivo. Ela lembra que eles são voltados para quem maior vulnerabilidade socioeconômica, mas outros fatores são levados em consideração. “Fazemos o chamamento de todos os inscritos e avaliamos também o grau de interesse do candidato em concluir o curso. Afinal, alguém paga para ele ter a gratuidade”, explica.

Esse foi o caso do Aurélio Ryu. Aos 29 anos de idade, ele desistiu da Engenharia na Politécnica da USP no oitavo semestre e tentou por cinco anos passar no vestibular de Medicina em universidades públicas. A idade foi avançando e Aurélio sentiu que era preciso dar uma virada em sua vida e a chance surgiu quando descobriu o curso de Bartender na Colmeia.

Além do empenho nas aulas, Aurélio contou também com a sorte. Durante o estágio no restaurante onde trabalha desde janeiro deste ano, a bartender pediu para sair. “Isto foi em dezembro. O responsável pediu para eu ligar quando terminasse o curso. Entrei em contato e fui contratado”, festeja, dizendo que o curso lhe deu ferramentas para encarar o ambiente de um trabalho profissional.


Publicidade

Publicidade

Publicidade