Competência: você sabe o que é e como alcançá-la?

Você vê a palavra “competência” em todas as partes. Na escola, na faculdade, em cursos das mais diversas áreas, na sua vida profissional, nos departamentos de RH… É simplesmente impossível ignorá-la. 

Uma competência é uma habilidade que inclui aspectos de conhecimento, atitude e habilidades para atingir objetivos em determinadas situações. Ricardo Camargo, consultor e especialista em empresa familiar, da Camargo Gestão, explica que também é assim no mundo corporativo. “Na visão moderna da administração, o diferencial dos profissionais hoje é muito mais comportamental do que técnico. Vale ressaltar que tanto o conhecimento explícito, que envolve graduação e especializações, quanto o conhecimento tácito, que seria o aprendizado do dia a dia, são importantes para o desenvolvimento de competências”, destaca.

 

Desenvolvimento de competências 

Todo mundo tem competências, mas nem todo mundo aprende a desenvolvê-las da mesma forma. Isso porque as pessoas têm diferentes talentos. E essa diferença tem ligação direta com o desenvolvimento das competências de cada um.

Por exemplo, a pessoa “A” pode ser muito boa na análise de números e a pessoa “B” muito habilidosa na análise de textos. Essas competências, em suma, significam que a pessoa “A” provavelmente será um analista de dados melhor do que a pessoa “B”. Por outro lado, tudo leva a crer que a pessoa “B” tenha um desempenho melhor em uma posição gerencial do que a pessoa “A”. E tudo bem. “A visão estratégica, por exemplo, é considerada essencial para os diretores, mas menos exigidas para cargos menores”, enfatiza Camargo. 

 

Por que as competências são importantes?

Você pode ter diversos talentos, mas é difícil fazer algo com eles se não aprender as competências relacionadas. É preciso se aprofundar e dominá-las para alcançar seus objetivos, interesses e desejos. Portanto, as competências são importantes não apenas no nível profissional, mas também pessoal. Camargo vai além “Não fique parado! Procure sempre acompanhar as necessidades do mercado para manter também a sua empregabilidade!”, finaliza.


Publicidade

Publicidade

Publicidade