Dicas de educação financeira durante o período do coronavírus

Educador lista ações que devem ser tomadas por quem não tem reserva, trabalho e renda.

 

Reinaldo Domingos é presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN)

A situação é extremamente grave para toda população brasileira em função da crise gerada pelo novo coronavírus e pelos impactos que a quarentena terá na economia. Entretanto, existe um grupo em específico para o qual a situação é desesperadora. São milhões de brasileiros que atuam na informalidade, que estavam desempregados ou perderam empregos e que não possuem perspectiva de renda nesse momento.  

Existem muitas pessoas que estão realmente desesperadas com essa situação, o que se justifica à primeira vista. Contudo, mesmo para essas eu recomendo um pouco de calma, pois é preciso sentar e buscar soluções conscientes em relação ao momento.

Para quem está nesta situação, é preciso pensar, em um primeiro momento, nas necessidades básicas em relação às despesas, viver numa operação de guerra.


Pensando nisso, oriento em relação a algumas ações que podem ser tomadas:  

 

🔶 É fundamental nesse momento reunir a família, abrir a realidade e pensar em ações conjuntas de redução de custos.

 

🔶 Este é o momento de focar na alimentação sem luxos e supérfluos. Opte pelos produtos básicos, com custos menores e esqueça marcas e outras questões que possam elevar o preço.

 

🔶 Caso tenha, é fundamental proteger a reserva financeira. Dinheiro vale muito mais nesses momentos.

 

🔶 Avalie a possibilidade de postergar o pagamento de energia, água e gás. Em muitos casos, esses não serão cortados em função da crise.

 

🔶 Busque suspender pacotes de TVs a cabo e reduzir também os pacotes de telefone e internet. É fundamental buscar por redução sem corte, mas lembrando que pode precisar de ferramentas virtuais para trabalho ou procura de emprego.

 

🔶 Não comprar roupas e acessórios qualquer nesse momento. Valorize o que já se tem.

 

🔶 Buscar por atividades de capacitação que não envolvam custos.

 

🔶 Nada de compras coisas que não sejam essenciais.

 

🔶 Em casos de dívidas, analisar individualmente e, se possível, suspender o pagamento ou renegociar as prestações. Nada de gastar o pouco de reserva financeira que possa ter.

 

🔶 Exercite o desapego, busque por produtos em casa que possam ser vendidos, a fim de arrecadar algum dinheiro, mesmo que seja valor baixo. Para isso, use ambientes de venda online.

 

🔶 Busque pelo aprimoramento de sua atividadefim ou em um nova que deseje atuar.

 

🔶 Faça sua inscrição em planos para desempregados ou pessoas de baixa renda. O governo está aceitando adesões emergenciais.

 

🔶 Se for informal ou MEI, tiver pequena ou microempresa, busque linhas de apoio oferecidas pelo governo.

 

🔶 Se tiver cartão de crédito e faturas que não tenha como saldar ou que vão comprometer seu caixa e sua reserva, o melhor a fazer é ligar para o credor e dizer “devo, mas não posso pagar agora”.

 

🔶 Caso necessite fazer empréstimos, evite a qualquer custo linhas como cheque especial e cartão de crédito que possuem juros exorbitantes.

 

🔶 Busque por uma possibilidade de renda, mesmo estando dentro de sua casa.

 

 

Texto: Reinaldo Domingos.

 

 

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade