Idosos ganham mais espaço no mercado de trabalho

24 de junho de 2019

Escrito por: Kazuhiro Kurita

Experiência, força de vontade e disposição são algumas das características desses profissionais que estão despertando interesse das empresas.

A expectativa de vida do brasileiro vem aumentando ao longo dos anos. Segundo dados do IBGE, quem nasceu em 2017 tem estimativa de viver até os 76 anos. Em 1940, a projeção era de apenas 45 anos e seis meses. Além disso, a chamada maioridade está cada vez mais ativa, retornando, inclusive, ao mercado de trabalho. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontou, em 2018, que a população idosa representava 7,8% dos trabalhadores formais no País. 

Para a especialista em comportamento Patrícia Lisboa, o aumento de idosos no mercado de trabalho deve ser visto pelas empresas como uma oportunidade. “O perfil da terceira idade é formado por uma mão de obra qualificada, experiente e altamente motivada. Investir nesse profissional é agregar valor e conhecimento, além de estimular a diversificação no ambiente corporativo”, explica. 

Para Patrícia Lisboa, a terceira idade pode colaborar com sua experiência

Segundo Patrícia, pessoas que já alcançaram a maioridade mostram-se cheias de disposição e iniciativa. “Elas estão capacitadas para produzir e contribuir com as empresas e ainda possuem a vantagem de já terem criado seus filhos e cumprido suas obrigações sociais. Por este motivo, estão disponíveis para investir em si mesmas, em aprendizado e crescimento intelectual em suas carreiras”, diz. 

Contratar profissionais maduros tem virado tendência. Já existem, inclusive, programas específicos para a admissão de pessoas acima dos 60 anos em algumas empresas. “A pluralidade é benéfica e, quando planejada, é possível aproveitar o melhor dos profissionais e da interação entre as gerações dentro do ambiente de trabalho. Pessoas maduras conseguem lidar com situações de conflito com mais serenidade e sabedoria. Agregam muito à equipe por sua experiência de vida e maturidade emocional”, explica Patrícia, acrescentando que existem treinamentos e outras ações estratégicas que podem ser realizados com os colaboradores para o desenvolvimento individual. 

A especialista acrescenta que o idoso, quando volta ao mercado, já passou pelos anseios e necessidades dos profissionais mais jovens, como subir na carreira, adquirir bens, formar uma família, e, com isso, tem mais tempo e disposição para o novo. “Os objetivos do idoso são diferentes. É claro que muitos retornam ao trabalho para complementar sua renda ou da família, mas a maioria volta para aprender, empregar melhor o tempo disponível e compartilhar conhecimento. Eles entram nas empresas com sede de aprendizado, mas acabam ensinando e aconselhando os mais jovens”, finaliza Patrícia. 

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar