Grandes aliados do trabalho no século 21

A tecnologia é uma grande aliada do século 21. Por meio dela, é possível alcançar inúmeros benefícios, como a possibilidade de estreitar relacionamentos, aprofundar conhecimentos e integrar, cada vez mais, pessoas e serviços. Com essa premissa, o termo ‘transformação digital’ vem sendo frequentemente atrelado ao cenário corporativo.  

A tecnologia impacta diversos aspectos na vida profissional. Um dos mais explorados é a flexibilidade nas relações de trabalho, principalmente o home office. Uma pesquisa do Ibope de 2019 aponta que o número de pessoas trabalhando remotamente cresceu muito nos últimos três anos e já representa mais de 20% dos profissionais brasileiros.  

Paulo Sierra, diretor geral da Poly no Brasil.

Atualmente, muitas empresas já entendem que essa possibilidade gera aspectos positivos, como o aumento de produtividade do funcionário e a redução de custos para as organizações. Com essa movimentação, existem ferramentas que auxiliam em todo o processo e oferecem ao usuário uma experiência tão positiva como se ele estivesse dentro do escritório. 

Videocolaboração e recursos de real connect – integração de dispositivos com os principais canais de comunicação, como Skype for Business, Zoom, Microsoft Teams e Outlook – tornam as conversas mais naturais e transparentes, parecidas com a interação face a face, colaborando para um melhor entendimento e uma experiência real. Dessa forma, a empresa se torna mais maleável diante de situações inesperadas, como dias de greves, manifestações nas ruas e dificuldades com o deslocamento no trânsito.  

Ou seja, a transformação digital leva à adaptação da cultura do negócio e da maneira como ele opera para trabalhar com as novas tecnologias. O mercado mudou e os ambientes de trabalho acompanharam essa mudança. Se conectar virou necessidade básica e locais de trabalho podem ser a própria casa, coworkings, escritórios ou até uma pousada à beira-mar.  

A transformação digital começa pela transformação de mentes. Regras seguidas nos últimos anos podem não ser adequadas para os próximos e é preciso ficar de olho nisso. Afinal, a mudança está acontecendo nesse momento. 

 

Texto:  Paulo Sierra, diretor geral da Poly no Brasil 

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade