Metalúrgicas de Osasco cumprem 96,2% da cota

11 de março de 2019

Escrito por: Kazuhiro Kurita

Para José Carlos do Carmo, outras áreas também deveriam fazer pesquisas.

Fábricas do setor na região preenchem 96,2% da Lei de Cotas e mais da metade que não são obrigadas a cumprir a legislação mantêm trabalhadores com deficiência em seus quadros. Este foi o resultado da pesquisa “Lei de Cotas – Trabalhadores com Deficiência no Setor Metalúrgico de Osasco e Região”, realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, divulgado no final de fevereiro. Segundo o Sindicato, os dados permitem colocar a discussão na mesa de negociações com o setor patronal e mostrar a possibilidade de qualquer segmento do setor poder contar com pessoas com deficiência em seus quadros.

Além do diagnóstico das contratações, a pesquisa ainda pode ser um instrumento para colaborar com a inclusão por meio de um trabalho de sensibilização. Para Ronaldo Freixeda, gerente regional do trabalho em Osasco, o estudo mostrou que é possível chamar as empresas que não cumprem a Lei de Cotas para uma mesa de entendimento com o objetivo de debater o assunto.

Segundo José Carlos do Carmo (Kal), auditor fiscal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo, outros setores deveriam investir em pesquisas semelhantes. “É muito importante que tenhamos este tipo de preocupação. Ou a gente levanta estas informações ou ficaremos sempre no achismo das coisas. Se quisermos ter condições de avaliar o resultado concreto, até para que a gente possa, se necessário, corrigir o rumo das coisas, temos que fazer este tipo de estudo para trabalharmos com dados concretos”, alerta o auditor fiscal.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar