Dicas para quem perdeu a vontade de procurar emprego

20 de agosto de 2021

Escrito por: Gestão Portal o Amarelinho

Autor: Claudinei Nascimento

De modo formal, o Brasil tem 14,8 milhões de desempregados. Mas você sabia que outros 6 milhões desistiram de procurar emprego? Eles são os “desalentados”, pessoas que, diante das circunstâncias adversas, decidiram não mais correr atrás de uma vaga de emprego. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Para Sandra Paulo, especialista em RH, mentoria e hunting de profissionais da CulturaRH, esse cenário se explica por diversos fatores. A começar pelo conturbado ambiente político e pela pandemia (muitas pessoas ainda temem entrevistas presenciais, por conta da exposição ao vírus). Além disso, problemas emocionais, já decorrentes de diversas negativas em entrevistas, e mesmo questões financeiras podem influenciar essa realidade. “Todo este conjunto abala psicologicamente os candidatos, que acabam se vendo incapazes para disputar uma vaga. E muitos passam a pensar assim: se não sou chamado, por que vou gastar dinheiro para buscar uma oportunidade?”, revela.

 

Como dar a volta por cima ao procurar emprego?

Para não cair no “desalento”, a especialista diz que é necessário buscar a automotivação. Assim, é possível se levantar rapidamente. Igualmente, vale o apoio de pessoas mais próximas, para superar esse momento, e ser resiliente para suportar as adversidades.

 

Na prática, isso significa que é hora de se preparar e aproveitar este tempo para buscar um novo aprendizado, bem como um nível maior de conhecimento. Em suma, se capacitar para as novas competências exigidas pelas empresas.

 

Dicas importantes

Para Sandra, é o candidato quem conhece as etapas necessárias para alcançar os seus objetivos. “É importante traçar um plano com base no que fez no passado e no que deseja para o futuro, se relacionar com pessoas positivas, buscar as motivações necessárias e sair da zona de conforto”, alega a especialista.

 

Uma questão importante é entender o que é ou não bem-visto pelas empresas. Ela exemplifica com uma situação muito peculiar aos jovens. “Eles têm mudado rapidamente de emprego, mas, ao contrário do que muitos pensam, as organizações não valorizam essa situação. Elas estão prestando atenção a quem se dedica a fazer carreira”, diz.

 

Contudo, a outra dica vai para os profissionais mais maduros. Neste caso, conta muito o histórico deixado nas empresas pelas quais passou. “O legado, as referências, participação em projetos, resultados alcançados. Tudo isto deve ser evidenciado, seja no currículo ou nas entrevistas e dinâmicas de grupo”, comenta.

 

Hora de procurar emprego no Amarelinho

Toda semana selecionamos novas vagas para quem busca uma oportunidade. Portanto, siga as nossas dicas, cadastre o seu currículo e não seja um “desalentado”. Estamos torcendo por você. Boa sorte!

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar