Trocar de emprego várias vezes é algo ruim?

Algumas pessoas encaram trocar de emprego como algo positivo para a carreira. Afinal, isso só pode significar coisas boas, certo? Mais experiência, rede de networking ampliada e aumento de salário. Porém, a partir de que ponto essas mudanças começam a ser vistas com maus olhos pelos recrutadores?

 

Em toda carreira profissional há uma progressão e, portanto, mudanças de emprego são mais do que naturais. Porém, elas precisam ocorrer da maneira certa – e na hora certa – para ajudar você a construir uma carreira que é realmente satisfatória.

 

Pode ser difícil determinar o número de vezes que as pessoas mudaram de emprego ao longo de sua vida profissional. Os especialista indicam que três ou quatro anos é uma boa média de permanência na mesma empresa. 

 

Mas, convenhamos, isso é algo praticamente impossível quando falamos sobre a geração conhecida como millennials. Nascidos durante as décadas de 1980 e 90, eles são os principais profissionais que costumam ter vários empregos em um curto período de tempo. E, às vezes, acabam recebendo uma má reputação por isso.

 

Então trocar de emprego constantemente é algo ruim?

 

Alguns recrutadores acreditam que essas mudanças de carreira refletem uma falta de paciência e dedicação. Imagine-se no lugar de um deles. Você investiria no desenvolvimento da carreira de alguém que muda de emprego, por exemplo, de 4 em 4 meses? Provavelmente não. Como resultado, você pode não obter as oportunidades de carreira que outros funcionários mais leais têm.

 

“Por mais que ele justifique [para o entrevistador], é complicado explicar muitas mudanças. A inconstância, nesses casos, é interpretada como falta de comprometimento ou mesmo de foco. E o pior: o currículo não passa credibilidade”, adverte a coach Marcela Buttazzi, sócia-diretora da MB Coaching. A melhor maneira de evitar isso é ter certeza de que obteve boas referências de cada posição e uma explicação de por que cada período foi tão curto (por exemplo, o tipo de contrato de trabalho).

 

Por outro lado…

 

Se você trocar de emprego a cada poucos anos, você pode obter muita experiência e uma nova visão do mercado de trabalho. Ao carregar esse conhecimento, é possível aplicá-lo em seu futuro emprego. Isso certamente pode oferecer novas ideias e uma maneira de inovar e surpreender.

 

Além disso, quanto mais empresas você trabalhar, maior será a sua rede de networking. E ter contatos sempre é algo que agrega no seu crescimento profissional. 

 

Trocar ou não trocar?

 

É ótimo ter ambição e querer obter sucesso na carreira. Mas procure encarar as suas oportunidades de emprego como um período para ter um entendimento da sua própria capacidade de trabalho. Ariane Ledin, consultora de recursos humanos da Fibra RH, orienta: “É recomendável esperar um pouco mais para conseguir um emprego e ser assertivo, do que tentar várias tentativas só para garantir o trabalho e não permanecer em nenhum deles. Hoje em dia falamos muito sobre o profissional também escolher o trabalho e não só o trabalho escolher o profissional, a relação de troca precisa acontecer para que seja um case de sucesso”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade