Trabalho voluntário é importante para a vida profissional

21 de maio de 2019

Escrito por: Kazuhiro Kurita

Patricia Pacheco diz que voluntariado pode trazer recompensas profissionais.

O voluntariado foi praticado por 7,2 milhões de pessoas no país em 2018, segundo o suplemento Outras Formas de Trabalho, da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no final de abril. Em relação ao ano anterior, houve uma ligeira queda de 1,6%, após alta de 13% entre 2016 e 2017.

O total de voluntários representou 4,3% da população com 14 anos ou mais, com maior participação das mulheres. “Pela questão cultural, a presença feminina é maior. Pessoas mais velhas, pelo tempo disponível e pela experiência de vida, se envolvem mais. Além disso, a participação dos mais escolarizados está relacionada a um rendimento mais estável e pelo próprio entendimento da necessidade de ajudar”, afirma a analista do IBGE, Maria Lúcia Vieira.

Segundo a pesquisa, o trabalho voluntário no país era realizado de forma consistente em 2018. A duração média das atividades foi de seis horas e meia por semana e a maior parte dos voluntários se dedicava quatro ou mais vezes por semana, principalmente em instituições religiosas, sindicatos, condomínios, partidos políticos, escolas, hospitais ou asilos.

Por outro lado, o trabalho voluntário individual vem crescendo aos poucos. “O trabalho de forma individual é aquele feito diretamente a outra pessoa, como um vizinho que acompanha um idoso a uma consulta médica ou uma pessoa que distribui alimentos a necessitados do bairro. Lembrando que o voluntário pode realizar trabalhos em mais de um local, o que também é captado pela pesquisa”, ressalta Maria Lúcia.

Para a consultora de RH da Luandre, Patricia Pacheco, é cada vez mais comum pessoas, principalmente jovens, engajadas em ações sociais. E isso é bom porque, além da solidariedade e a satisfação pessoal, o trabalho voluntário agrega valores importantes na carreira profissional, como empatia, flexibilidade e trabalho em equipe. “Hoje, as empresas estão cada vez mais voltadas para a responsabilidade social. Algumas até contratam colaboradores para organizar a área. Então, podemos dizer que ser voluntário é um diferencial positivo para o profissional”, afirma.

Diante disso, é preciso que as habilidades aprendidas no voluntariado estejam explícitas no currículo do profissional e sejam verbalizadas no momento da entrevista para o recrutador. Afinal, quem atua como voluntário passa por adversidades e aprender a lidar com a situação o prepara para contornar dificuldades no emprego.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar

NO AMARELINHO VOCÊ CONSEGUE CONTATO DIRETO COM O EMPREGADOR.

Últimas Notícias