Março tem índice negativo de emprego

Kazuhiro Kurita

, Empregos

O balanço do mercado formal de empregos apresentou saldo negativo em março, com o fechamento de 43.196 vagas, consequência da diferença entre 1.304.373 demissões e 1.261.177 admissões no mês. Este foi o balanço apresentado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia na quarta-feira, dia 24 de abril.

Segundo o Ministério da Economia, o resultado não altera a tendência de retomada gradual da economia, já que no acumulado do ano (janeiro a março) houve saldo positivo de 179.543 postos com carteira assinada. “Os setores que normalmente admitiam nesta época do ano anteciparam as contratações para fevereiro e aqueles que demitiam concentraram as dispensas em março. O fato provocou tendências opostas entre os meses”, diz a nota do Ministério.

No mês, houve perda acentuada de vagas no Comércio, seguido da Agropecuária, Construção Civil, Indústria de Transformação e Serviços Industriais de Utilidade Pública. Três setores tiveram resultado positivo em março: Serviços, Administração Pública e Extrativa Mineral.

Pela modalidade de trabalho intermitente, onde a prestação de serviços não é contínua, foram gerados 6.041 empregos. Esse resultado representa um aumento de 2.842 mil postos na comparação com março de 2018, quando o saldo foi de 3.199 mil empregos intermitentes.

 

Foto de capa: Fila de candidatos em busca de uma vaga de segurança em São Paulo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade