Alunos e graduados da USP dão aulas de Matemática básica

Kazuhiro Kurita

, Cursos & Educação

Leonardo Ramos Pereira diz que o Programa é dirigido a jovens e adultos com dificuldades de realizar as operações mais simples para a utilização no dia a dia.

O Núcleo de Consciência Negra da USP está com inscrições abertas para o Curso de Iniciação à Matemática, que começará no dia 4 de maio e vai até 5 de outubro. As aulas serão ministradas aos sábados, das 13h às 17h, no prédio do Núcleo, na Avenida Professor Mello Moraes, travessa 8, número 140, Cidade Universitária, São Paulo.

As inscrições podem ser feitas no mesmo endereço, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, ou pelo link bit.ly/inscrever_cursomatematica. Pode se candidatar quem tiver mais de 15 anos, mediante o pagamento de uma taxa única de R$ 50,00 para material didático. Quem se inscrever on-line, precisa fazer o depósito no Banco Santander, agência 0658, conta poupança 60003069-9 e enviar o comprovante pelo e-mail cursomatematica@ncn.org.br. As 60 vagas disponíveis serão preenchidas por ordem de inscrição.

Segundo um dos coordenadores do programa, Leonardo Ramos Pereira, o curso aborda os conteúdos do ensino fundamental, como operações básicas (soma, subtração, multiplicação e divisão), números naturais (inteiros, frações e decimais) e potencialização e radiciação (raiz quadrada). “O objetivo é ajudar estudantes que estão se preparando para vestibulares ou quem quer retomar os estudos”, diz.

Leonardo diz que o programa foi criado a partir da constatação de que os estudantes, principalmente de escolas públicas, têm uma defasagem no aprendizado de Matemática no ensino fundamental. “Nosso grupo dava aulas em cursinho populares e verificamos esta deficiência. Por isso, resolvemos criar o curso em 2013”, conta ele, que é graduado em Engenharia e Matemática na USP e atualmente faz pós-graduação em Engenharia Elétrica.

Para ele, dar aulas e coordenar o curso vai além de uma ação de solidariedade. “A atividade me faz crescer como pessoa e profissionalmente como educador, pois encaro desafios que contribuem na formação acadêmica. Eu e meus colegas, todos alunos e ex-alunos de Matemática ou Engenharia, participamos de várias etapas da organização, além das aulas propriamente ditas”, afirma.


Publicidade

Publicidade

Publicidade