Governo prorroga o Pronampe por mais três meses

10 de setembro de 2020

Escrito por: Gestão Portal o Amarelinho

O Governo prorrogou por mais três meses o prazo para formalização de operações de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O prazo final para aderir ao programa, criado para ajudar empresas a enfrentar pandemia sem demitir, terminaria no dia 19 de agosto. Porém o governo reconheceu que “ainda há demanda de crédito por parte das microempresas e empresas de pequeno porte para manutenção de suas atividades econômicas”.  Sendo assim, o novo prazo vai até 19 de novembro.

 

Sancionada em maio, a Lei nº 13.999/2020 que criou o Pronampe abriu inicialmente crédito especial de R$ 18,7 bilhões, que logo se esgotaram. Por meio do programa, o governo tem como objetivo garantir recursos para os pequenos negócios e manter empregos durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. Todas as instituições financeiras públicas e privadas estão aptas a operarem pela linha de crédito.

 

Como funciona o Pronampe? 

 

A linha de crédito é válida para todas as microempresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano. As pequenas empresas devem ter obtido faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.

 

Caso a empresa tenha menos de um ano de funcionamento, o limite do empréstimo será de até 50% do seu capital social ou até 30% da média de faturamento mensal apurado desde o início das atividades, o que for mais vantajoso.

 

O recurso obtido por meio do empréstimos poderá ser utilizado para investimentos e capital de giro isolado ou associado ao investimento. Em outras palavras, poderá ser usado para adquirir equipamentos e reformas, e/ou para despesas operacionais como pagamento de água e luz e salário dos funcionários. 

 

Fique atento às regras

Além de estar em dia com a Receita, é preciso cumprir outras obrigações para a adesão ao crédito. Uma delas é de que a empresa não poderá demitir funcionários por até dois meses após o pagamento da última parcela do empréstimo, que tem o prazo de 36 meses para ser quitado.

 

Isso quer dizer que se a empresa obtiver o empréstimo pelo prazo máximo de pagamento das parcelas, não poderá demitir no prazo de 38 meses.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Publicidade ba

Mais conteúdos sobre

Outros conteúdos que você pode gostar